Os Beneficios da Consultoria de Imagem Corporativa para sua Empresa

 

 

As empresas de sucesso gastam uma quantidade enorme de dinheiro criando uma imagem de alto valor para os seus produtos ou serviços. As empresas mais bem-sucedidas e respeitadas doo mundo dão um passo mais longe. Eles investem na imagem de seu ativo mais importante, os seus colaboradores. Lilian Riskalla Consultoria de Imagem oferece uma variedade de serviços excepcionais para organizações que decidem fazer esse investimento

 

O Campo profissional está mais competitivo do que nunca. A primeira impressão da sua organização para o público é formada pela maneira como os seus colaboradores se vestem e se comportam, pois eles sãos os representantes da sua empresa. Frequentemente este pode ser fator diferenciador entre você e seu concorrente.

 

 Podemos ajudá-lo:

 

A Educar e motivar os seus colaboradores a projetar uma presença profissional consistente alinhada com os objetivos da sua empresa e estratégias promocionais.

 

Estabelecer uma presença que transmite instantaneamente competência e credibilidade.

 

Atrair novos clientes e manter os atuais por moldar positivamente a percepção de sua empresa pelas pessoas.

 

Aumentar a auto-confiança, trabalho em equipe e produtividade dos seus colaboradores .

Saiba mais em nosso site www.lilianriskalla.com.br

 

 

 

O Segredo das Gravatas

“Dar um bom nó na gravata é o primeiro passo sério na vida de um homem”. Oscar Wilde 

Hoje o principal propósito da gravata é acrescentar luxo e cores ao austero traje do mundo dos negócios, o terno. A primeira gravata também teve a intenção de lançar um pouco de cor e estilo ao usuário.

Luis XIV adotou a moda de lenços com nós no pescoço, após se encantar ao vê-los nos mercenários croatas contratados para ajudá-lo na guerra dos 30 anos. Outro importante marco na história da gravata aconteceu com o retorno de Charles II à Inglaterra, depois de seu exílio.

Devido a sua fama e influência e como era um adepto do uso da gravata, ele acabou contribuindo de modo decisivo na incorporação desta nova peça de roupa na moda européia e, mais tarde, também nas colônias do continente americano

Eventualmente após uma evolução que incluiu renda branca, longos laços e mais uma variedade de outras peças, a gravata nasceu, um produto do moderno lifestyle trazido pela Revolução Industrial e usada pela força de trabalho, a gravata precisou se adaptar a ser mais simples e mais confortável.  A gravata como nós a conhecemos hoje começou a ser usada por volta dos anos 20, quando o four-in hand (nó americano t) tornou-se um padrão.

Curiosidades e Estilos

As gravatas de petits-points atravessaram o século como o máximo da elegância, graças a Sir. Lipton do chá, iatista e bon vivant inveterado, Lipton transformou suas gravatas  de seda azul com petits-points brancos em um novo ícone da elegância inglesa

Nos anos 30, a Maison Charvet lançou com sucesso outra estampa de gravatas à base de bolinhas. Com formatos maiores com tamanhos de confetes ou pequenas moedas, tais bolinhas as pastilles, por se parecerem com pastilhas de guloseimas. São multicoloridas, executadas em tramas contrastantes e consideradas menos clássicas que as de petits-points. Silvio Berlusconi, só usa este tipo de gravata, Giorgio Armani também.

Não importa se lisas, listadas, xadrezas ou com estampas de animais (Hermès), as gravatas fazem toda a diferença no look,elas dizem muito sobre o usuário, são excelentes ferramentas de comunicação, por isso cuidado ao escolher a sua.

Gravatas devem ser de seda pura e se fabricadas a mão, melhor ainda. Devem ser escolhidas juntamente com a padronagem das camisas, saber usá-las com os tamanhos dos colarinhos que devem ser adequados ao biótipo de cada um, atar o nó corretamente, escolher o modelo para a ocasião certa. E os nós??? São três os mais clássicos .

  • Four –in- Hand – Nó americano e o mais simples
  • Windsor – Mais opulento
  • Semi- Windsor ou Half – uma alternativa entre o opulento Windsor eu nó mais simples.

Todos estes são detalhes preciosos para estar elegante.

 

Matéria Publicada na  revista Planet Biz 08/2011

5 regras para driblar o estresse em viagens de negócios

Para evitar que seu corpo e mente fiquem em descompasso com as exigências, veja como mudar a sua rotina de viagem

Talita Abrantes, de 

São Paulo – Em viagens de negócios, geralmente, o tempo é curto, o ambiente é desconhecido, as diferenças de fuso são complicadas e as chances de que imprevistos dinamitem seu controle sobre a agenda são mais do que prováveis. Em outras palavras, um cenário propício para graves sintomas de estresse em qualquer executivo.

Getty Images

Reservar um tempo na agenda para você mesmo deve ser prioridade em viagens de negócios

Algumas mudanças e cuidados simples na rotina da viagem podem ser eficazes para minimizar os efeitos devastadores do estresse para a sua saúde mental durante este período que pode ser decisivo para a sua carreira. Confira:

1. Minimize o efeito de imprevistos (antes da viagem)

De acordo com  Lilian Riskalla, consultora de imagem corporativa, para minimizar o efeito devastador que os percalços da viagem podem ter para sua saúde mental, esteja um passo à frente dos imprevistos.

O voo atrasou e você chegou em cima da hora para uma reunião importante? Fique atento a essa possibilidade e, para impedir mais atrasos, contrate um motorista para buscar você no aeroporto. Agora, suas malas se perderam pelo caminho? Leve na bagagem de mão trajes mais formais para estar pronto para a próxima reunião.

“Se, por exemplo, você realizará uma reunião no hotel ou agendar um almoço de negócios, reserve tanto a sala de reuniões quanto a mesa no restaurante com antecedência. Não deixe para fazer tudo quando chegar ao país de destino”, afirma Lilian.

2. Alimente-se bem

Em viagens de negócios não se renda ao fast-food. “Antes, opte pelo conceito de slow food”, diz André Negrão, clínico geral do Hospital São Luiz .“Mesmo estando fora do seu país, tente manter uma regularidade na alimentação”. O que isso significa? Tenha refeições leves a cada duas horas, sem correrias. “Guarde um tempo para aquele momento da alimentação”.

3. Faça exercícios

Não deixe a rotina de exercícios físicos de escanteio. Antes, reserve um tempo na sua agenda para a prática de alguma atividade física durante a viagem.

“Não precisa ser academia, mas qualquer atividade física irá levar a um aumento da serotonina, que diminui o estresse, além de melhorar seu condicionamento físico para aguentar a rotina de trabalho excessiva”, explica Negrão.

4. Durma

Apesar da diferença de fuso, faça do sono um momento sagrado. Nos primeiros dias, cuidado para não inverter sua rotina de sono de maneira abrupta.

“Vários estudos mostram que com a inversão do sono há aumento da pressão arterial, por exemplo”, diz o especialista. Com isso, ele aconselha: se você for para a China, por exemplo, obrigue-se a dormir mesmo que durante o dia e regule, aos poucos, seu ciclo de sono ao fuso.

“Não existe compensação para sono atrasado. Você vai sofrer de estresse por essas noites mal dormidas”, diz.

5. Deixe algumas lacunas na agenda

É fato que, quase sempre, viagens de negócio são sinônimo de fazer mágica com o tempo para que todos os compromissos caibam na agenda. Mas lembre-se: “Mesmo estando a trabalho, você não precisa passar as 24 horas do dia trabalhando. Todos precisam de descanso”, diz Negrão.

Por isso, reserve compromissos na sua agenda com você mesmo seja para caminhar nos arredores do hotel, saborear uma refeição com lentidão ou, simplesmente, dormir.

Lembre-se também que uma viagem de negócios pode trazer muitas surpresas. Você pode conhecer um eventual parceiro de negócios pelo caminho e, para manter o contato, é imprescindível ter tempo livre na agenda.

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/5-regras-para-driblar-o-estresse-em-viagens-de-negocios

 

Sete dicas para você não fazer feio em uma viagem de negócio

Claudio R. S. Pucci

Atire a primeira pedra aquele que nunca teve que fazer uma viagem a trabalho e se viu sozinho em uma terra estranha, seja aqui dentro ou fora do país? Especialmente quando vai sozinho, a carga de responsabilidade é enorme, já que você é o único representante de sua empresa lá fora. Ou seja, comportar-se mal está totalmente fora de questão. E com todo o planejamento da viagem, muitas vezes, a etiqueta é completamente esquecida.

» Confira dicas de como fazer uma mala
Assim, em parceria com a consultora de imagem Lilian Riskalla, preparamos sete dicas para você levar em conta antes de fazer seu check-in.

1) Seja autosuficiente

Se você foi convidado por algum cliente, parceiro ou até mesmo a matriz de sua empresa (se for multinacional), não jogue as carga de responsabilidade nas costas do anfitrião.

Faça os preparativos você mesmo, cuidando da reserva dos hotéis, meios de transporte etc. Se o anfitrião, porém, insistir em cuidar de tudo, aceite de bom grado, já que provavelmente ele estará lhe hospedando em algum logal de fácil acesso e trânsito para ambos.

2) Cuidados na escolha dos hotéis

Empresas geralmente têm um departamento para viagens ou alguém responsável pelas reservas, mas atente para o fato que muitas cadeias hoteleiras possuem quartos especiais para executivos com uma estrutura que incluem internet, área para instalação do laptop, telefone habilitado para conferências e também business centers completos. Assegure-se dessa estrutura (quando necessária) antes de fechar o hotel.

3) Quando a reunião acontece no hotel

Se você vai capitanear as reuniões e elas ocorrerão dentro do local onde está hospedado, o mais prudente é fazer uma reserva da sala de reuniões com antecedência e verificar se o hotel tem a estrutura que você necessita (projetor, serviço de catering etc.).

Avise também se haverá a necessidade de reserva de mesas no restaurante do hotel para almoço e/ou jantar.

4) Tempo é dinheiro

Se você for fazer uma viagem de avião de longa duração, programe-se para chegar um dia antes de seu encontro. Com isso você estará descansado, mais apresentável e não corre o risco de atrasar.

Se você tem uma reunião no dia de sua chegada, reserve um voo que lhe dê folga o suficiente para chegar com calma. Nesses casos, o ideal é contratar um serviço de transporte, já que o chofer seguramente vai saber lhe levar ao local da reunião rapidamente.

5) Controlando despesas

Isso já é lugar-comum, mas cuidado com a armadilha do frigobar e do serviço de quarto. Eles podem sair muito mais caro do que você pensa. E lembre-se que em 99% dos casos você vai ter de prestar contas das despesas da viagem à chefia, por isso, organize seus gastos, nunca deixe de solicitar notas fiscais ou recibos, e anote nelas a que se refere a despesa. Vai ser mais fácil de justificá-las depois.

6) O enigma da gorjeta

É de bom tom, especialmente fora do Brasil, dar gorjetas ao funcionários que lhe ajudarem no hotel. Sendo assim, mantenha uma quantidade de notas baixas na carteira.

O esquema é assim: quanto mais trabalhoso ou demorado for o serviço, maior a gorjeta. Não exagere, porém, no valor, ou ficará com fama de tolo ao invés de generoso.

Nos restaurantes dos países estrangeiros é comum dar gorjeta ao garçom (em torno de 15%), mas esse valor não sai na nota fiscal. Verifique com sua empresa a política para isso, pois será despesa não-justificável.

7) Se viajar com o chefe, respeite a hierarquia

Você não precisa ficar todo solicito ou puxando o saco da sua chefia em uma viagem de negócios. Basta a boa educação e o respeito ao cargo dele.

Sendo assim, sempre o posicione no melhor lugar da mesa, abra portas ou permita que ele ou ela sempre inicie a conversação. Com isso, você sutilmente mostra quem manda no negócio.

É importante seguir algumas dicas para não fazer feio nas viagens de trabalho

É importante seguir algumas dicas para não fazer feio nas viagens de trabalho

Entenda qual a melhor postura em eventos profissionais

Claudio R. S. Pucci

Na agenda de um bom profissional, o que não faltam são eventos. Seja alguma palestra da área, lançamentos de produtos e até mesmo aqueles promovidos pela empresa em que você trabalha, ao frequentar um evento você tem de fazer a opção entre aparecer bem na fita ou passar despercebido. Como a primeira opção é a melhor para você (e com certeza é para sua carreira), reunimos algumas dicas com a consultora de imagem Lilian Riskala para você poder se destacar entre tantos outros convidados. E como hoje, networking é a melhor forma de subir os degraus da vida profissional, é bom você aprender direitinho.1) Seja sempre pontual
Especialmente no caso de eventos que envolvam palestras, discursos ou premiações, um profissional deve evitar chegar atrasado. Lembre-se que pontualidade é uma forma de respeito ao palestrante, aos convidados e ao próprio evento em si. De qualquer maneira, é um evento profissional e não uma festa social, portanto respeite o horário.

2) Informe-se antes
Ainda no caso de palestras, estude antes o tema que será abordado e quem serão os palestrantes. É uma ótima forma de poder participar maduramente se houver alguma discussão sobre o assunto e se misturar melhor entre as outras pessoas.

3) Cuidado com a roupa
Mais uma vez ressaltamos que é preciso tomar uma precaução enorme com o que você vai vestir. Mesmo em eventos mais informais (como um churrasco, por exemplo), o ideal é não colocar aquela camiseta de anos atrás um short que já viu dias melhores. Para sempre passar credibilidade, você deve respeitar o dress code do evento.

4) Faça amigos e influencie as pessoas
Em eventos que terão a presença de outras pessoas da sua empresa, evite ficar participando de rodinhas de colegas de trabalho. Interaja com outros convidados (especialmente clientes) e circule sempre pelo salão. Sempre sorrindo. E caso haja jantar, nunca, em hipótese nenhuma, entre na famosa “mesa da firma”.

5) Ensaie um discurso
Antes de ir a um evento profissional é sempre ideal treinar um discurso breve descrevendo seu trabalho e suas atividades. Lembre-se do conceito do “elevator speech”, ou seja, conseguir falar sobre seu trabalho em uma viagem de elevador, ou seja, em pouquíssimos minutos. Com isso, você estará totalmente preparado caso alguém lhe pergunte o que faz e passará uma tremenda confiança ao seu interlocutor.

6) Atente para a postura física
Fique em pé o maior tempo possível em coqueteis e coffee breaks. Grupos sentados acabam passando a ideia de feudo fechado. Tente se integrar ao maior número de pessoas e mesmo que não consiga falar com todos, estabeleça contato visual, acene com a cabeça e sorria, faça as outras pessoas se sentirem confortáveis, pois todo mundo gosta de se sentir reconhecido. Ainda em coquetéis, o ideal é manter seu copo de bebida (em copos, nada de garrafas ou latas) sempre na mão esquerda para estar com a direita livre (e seca) para cumprimentar outros convidados.

7) Lembre-se que amigos são para essas coisas
Se você estiver frequentando um evento onde se encontram outros colegas de trabalho, peça para que eles o apresentem aos outros participantes. Em casos de almoços ou jantares com bufê, a fila para se servir é uma ótima oportunidade para iniciar um bom bate-papo.