Lilian Riskalla - Consultoria de Imagem

Mídia

O segredo das Gravatas - Revista Planet Digital planetbiz.com.br

10/12/2013

"Dar um bom nó na gravata é o primeiro passo sério na vida de um Homem".
Oscar Wilde 

Hoje o principal propósito da gravata é acrescentar luxo e cores ao austero traje do mundo dos negócios, o terno. A primeira gravata também teve a intenção de lançar um pouco de cor e estilo ao usuário.

Luis XIV adotou a moda de lenços com nós no pescoço após se encantar ao vê-los nos mercenários croatas contratados para ajudá-lo na guerra dos 30 anos. Outro importante marco na história da gravata aconteceu com o retorno de Charles II à Inglaterra, depois de seu exílio. Devido a sua fama e influência e como era um adepto do uso da gravata, ele acabou contribuindo de modo decisivo na incorporação desta nova peça de roupa na moda européia e, mais tarde, também nas colônias do continente americano.

Eventualmente após uma evolução que incluiu renda branca, longos laços e mais uma variedade de outras peças, a gravata nasceu. Como um produto do moderno "lifestyle" trazido pela Revolução Industrial e usada pela força de trabalho, a gravata precisou se adaptar a ser mais simples e mais confortável. A gravata como nós a conhecemos hoje começou a ser usada por volta dos anos 20, quando o four-in hand (nó americano t) tornou-se um padrão.

Curiosidades e Estilos

As gravatas de petits-points atravessaram o século como o máximo da elegância, graças ao Sir. Lipton do chá. Iatista e bon vivant inveterado, Lipton transformou suas gravatas de seda azul com petits-points brancos em um novo ícone da elegância inglesa.

Nos anos 30, a Maison Charvet lançou com sucesso outra estampa de gravatas à base de bolinhas. De formatos maiores, de tamanhos de confetes ou como pequenas moedas, tais bolinhas foram denominadas pastilles por se parecerem com pastilhas de guloseimas. São multicoloridas, executadas em tramas contrastantes e consideradas menos clássicas que as de petits-points. Silvio Berlusconi, só usa este tipo de gravata, Giorgio Armani também.

Não importa se lisas, listadas, xadrezas ou com estampas de animais (Hermès), as gravatas fazem toda a diferença no look, elas dizem muito sobre o usuário, são excelentes ferramentas de comunicação, por isso muito cuidado ao escolher a sua. 

Gravatas devem ser de seda pura e se fabricadas à mão, melhor ainda. Devem ser escolhidas juntamente com a padronagem das camisas, saber usá-las com os tamanhos dos colarinhos adequados ao biótipo de cada um, atar o nó corretamente, escolher o modelo para a ocasião certa. E os nós? São três, os mais clássicos .

· Four ­in - Hand, nó americano e o mais simples
· Windsor, mais opulento
· Semi - Windsor ou Half, ­ uma alternativa entre o opulento Windsor e o nó mais simples.

Todos estes são detalhes preciosos para estar elegante.